terça-feira, 12 de maio de 2009

Os estereótipos italianos


Conheço pessoas no Brasil (muitas delas descendentes diretos de italianos) que têm uma visão um pouco estereotipada da Itália. Acham que aqui é a Terra Nostra (para quem não sabe, era uma novela que passava no Brasil em 1999/2000 e que abordava o tema da imigração italiana em São Paulo no século XIX), onde todos dançam a tarantella, são alegres, falam alto como se estivessem brigando, comem muito, têm "sangue quente" ou são melancólicos quando sentem saudade. Assim como nós, os italianos também gostam de festas, sejam estas em família ou entre amigos, em casa ou na discoteca. Reúnem-se durante ocasiões importantes ou simplesmente nos finais de semana, na casa da nonna ou em qualquer outro lugar aconchegante. As festas de ruas são um pouco parecida com as típicas festas italianas que vemos no Bixiga e Brás (famosos bairros de São Paulo ocupados por imigrantes italianos), mas não é verdade que todos dançam tarantela.


Confesso que também não sabia sobre as danças e achava que a tarantela fosse unânime na Itália. Mas não é bem assim. O samba, por exemplo, não é um ritmo que agrada todos os brasileiros, mas mesmo assim ainda é apreciado em quase todo o Brasil. Já a tarantela não, é tradicional do sul da Itália e nem sei se a jovem geração é fã. No norte, ao contrário, preferem mais as danças de salão, com ritmos que vão desde músicas tradicionais da Emília-Romanha até ritmos estrangeiros como o tango e a valsa (as danças de salão brasileiras não são conhecidas aqui). E se perguntar a um italiano do norte se ele sabe dançar a tarantela, a resposta é sempre um nariz torcido.


Nem todos são tão barulhentos ou falam alto como pensamos; conheço várias pessoas que são mais quietinhas e quase não se ouvem muito quando falam. Mas gesticular é quase uma marca registrada dos italianos, difícil ver um que não gesticula, mesmo que pouco, e até os imigrantes aqui já aprenderam a se comunicar por gestos.


Todo mundo sabe que a culinária italiana é a mais requisitada pelos nossos paladares e a mais famosa do mundo. Mas isso não quer dizer que todo italiano é comilão e não vive sem muita fartura à mesa. Também é verdade que comem muita massa sim, já que é a base da cozinha italiana, assim como nosso brasileiríssimo arroz-feijão. Só que não só de massas vive um italiano: há uma infinidade de pratos italianos à base de carne, peixe, salada, sopas.


Aos poucos vou publicando outros textos a respeito do argumento. A Itália é muito diferente do que imaginamos, do que o nonno conta (deve se levar em conta que quando a grande leva dos imigrantes aportou no Brasil, o país que deixaram era atrasado, havia muita gente que passava fome e o desemprego era assustador) ou do que vemos nas festas e reuniões ítalo-brasileiras (a maioria foi instrumentalizada e estereotipada).


14 comentários:

  1. Olá! Excelente post!

    Por falar no tique italiano de gesticular enquanto falam, nunca mais me vou esquecer da cena de um italiano em Nápoles a discutir com a namorada ao telemóvel em plena rua. Ele esbracejava, ele dava saltos, ele falava alto.

    Enfim, viva a terra das emoções! E, sim, sem dúvida exite um errado estereótipo sobre o italiano. Os do norte são muito diferentes dos do centro e sul: hábito, usos e costumes.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. @Viajante: Ola! Como esta?
    Obrigada pela visita! Realmente o italiano do sul é mais "espontaneo"... lembro-me de uma cena engraçada na Sicilia: a tia do meu namorado e uma prima dela estavam conversando alegremente (imagine duas mulheres sicilianas conversando) e ele no meio, tapando as orelhas porque elas falavam alto mesmo. Quando a familia se reune, ouve-se da pracinha em frente a casa da avo dele as conversas e exaltaçoes!

    ResponderExcluir
  3. Olá Juliana
    Excelente ideia. Assim vais desmistificar as ideias pré-concebidas sobre a itália e sobretudo sobre os italianos. Gostamos de ler.
    Votos de uma boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Querida Juliana, es muy interesante este post, para derribar algunos mitos y costumbres que, en general, cree la gente que no tuvo la suerte de visitar algunos países. Es muy cierto lo de la tarantella, ya está un poco démodé; pero yo adoro el samba, me fascina.
    En Roma sí hablan en un tono de voz más fuerte que lo normal.
    Me encantó este post.

    BESOTES HERMOSA!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju, eu acho que o italiano do estereótipo é o da Toscana. Quando estive em Pisa, me senti de verdade na Itália, aquela dos filmes, desenhos animados e que eu imaginava quando morava no Brasil. Especialmente em um restaurante em que o proprietário atendia as mesas e alegremamte gritava os pedidos diretamente da mesa para o pessoal da cozinha, em vez de ir até lá. O sul é meio bagunçado demais. Mais bagunçado que o estereótipo. E aqui no norte são todos bem mais frios. É quase uma Áustria, a meu ver.

    Sobre massa todos os dias, pelo menos na "mensa" aqui do lugar onde eu trabalho tem massa todo o santo dia sim. É sempre um primeiro prato de massa e um segundo de peixe, carne ou frango. Mas a massa tá lá, todos os dias.

    ResponderExcluir
  6. Ju

    Excelente post !!!!! Amei !!!! Conta mais.. conta!!!

    Um beijo pra ti

    ResponderExcluir
  7. @Stanley: É verdade, já me perguntaram cada coisa sobre a Itália... tem gente que pensa que a Itália ainda é a mesma que deixaram os imigrantes que rumaram para a América. E olha que são pessoas que têm contatos com os italianos!
    A tarantela não é muito apreciada aqui no norte. Nas festas populares da província de Brescia não se escuta nada do tipo, exceto uma vez quando tocaram uma das tantas tarantelas em uma festa de uma cidade perto de onde moro.
    Samba eu gosto daqueles de raiz. Os de escola de samba são alegres e tudo mais, mas só tem mulher pelada e todo mundo aqui fora acha que brasileira é assim.
    Sim, de Roma para baixo os italianos são mais espontâneos, mais latinos :D
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. @Leonardo: Achei a Sicilia o estereótipo do italiano. O modo de vestir dos mais velhinhos, as tardes de verão passadas na porta de casa a ver o movimento da rua, as reuniões de família com muito entusiasmo (teve uma vez que achei que um tio do meu namorado estivesse brigando). Eu vi uma Sicilia do interior, mas exatamente aquilo que imaginava do italiano. E também bem parecido com o brasileiro...
    Em Roma também achei bem "italiano", principalmente em Nettuno (província de Roma). Lembro uma vez no restaurante que o cameriere nos acomodou em uma mesa, depois disse para a gente mudar, indicando uma mesa, mas no fim nos colocou em outra....
    Aqui em Brescia, Milão, Bergamo, depende da pessoa. Eles são mais "contidos", difidentes, mas quando pegam "amizade" ficam mais extrovertidos e até piadinhas fazem.
    Sim, a massa é o arroz-feijão deles, mas não é que comem todos os dias (nem a gente come arroz e feijão todos os dias - só meus pais :D). E também não fazem sempre primeiro-segundo todos os dias.

    @Cris: Obrigada pela visita e comentário! Aos poucos vou publicando mais sobre curiosidades daqui.

    ResponderExcluir
  9. Realmente... cada blog que leio de pessoas que moram na Italia ou em outro lugar.... mostram as contradiçoes do que pensavam antes e o que realmente vivem (aqui na Italia ou em outro lugar....)
    Imagina, cada cidade tem seu dialeto.... tem sua festa... é uma grande diversidade.... é estranho mas eu adorooooo!!!
    Tambem tinha as minhas ideias sobre a Italia, que mudaram nesta vivencia de quase 4 anos....

    ResponderExcluir
  10. Muito bom o post Ju. Tb vejo italianos que nao se encaixam dentro do estereotipo, mas serà q eles nao seriam considerados exceçao? é interessante ver que, no geral, aquela imagem do italiano "tiozao" boa gente, falador, é a q acaba sendo divulgada. Penso q além da boa alimentaçao q eles tem, eles nao tem problema de coraçao aqui, pq eles expressam MESMO o q estao sentindo (me refiro ao geral), nao canso de ver na rua, normalmente gente mais idosa, reclamando ou xingando alguem qud faz algo q eles nao gostaram. Um dia um senhor andando de bici vinha na direçao de um rapaz q falava ao celular distraidamente e nao viu o senhor. Este parou bem brabo e o outro passou sem notar nada, entao o senhor nao se conformou e xingou ele, rsrsrs "mas olha por onde anda!". Eles nao levam incomodaçao p casa mesmo! rsrrs

    ResponderExcluir
  11. Adorei o texto, não esquece de contar depois da barulheira que eles fazem quando limpam o nariz, não importando onde estão e se o lugar está no maior completo silêncio.

    bacio

    ResponderExcluir
  12. @Gi: eu também tive outro modo de pensar sobre a Italia e os italianos depois que vim para ca. No Brasil tive oportunidade de trabalhar com eles e achava que muitos eram grossos e mal-educados. Mas nem todos sao assim, é como no Brasil e em qualquer parte do mundo... depende da pessoa e do dia.

    @Dani: sobre a historia da bicicleta, meu irmao me contou algo parecido uma vez. La em Sao Paulo, ele e seus amigos começaram a descer uma rua de bicicleta com toda a velocidade. Como eles andavam perto da calçada, passaram perto de um velhinho italiano que gritou "caz..." para eles! Hahaha! Mas também ja vi muitos brasileiros xingando na rua, so que os mais velhinhos, porque os mais jovens ja parte para a "porrada".

    @Tita: é mesmo, eu acho que comentei algo do genero em algum post. Mas depois repito a dose. Até hoje acho estranho!

    ResponderExcluir
  13. JAJAJAJA!!!! Me encantó tu chiste, es muy bueno, si me das permiso, lo voy a publicar, ok?

    Gracias por el comentario, sos encantadora!!

    BESOTES JULIANA Y BUENA SEMANA!

    ResponderExcluir
  14. Tarantella!!Música típica Napolitana... Apesar de grande parte de brasileiros serem de origem veneta,lombarda,friulli,toscana enfim,do centro para cima,o povo povo do sul parece mais com os brasileiros,mais acolhedor,festeiro e simpático.A rixa entre sul é norte não é diferente de nós.Seria o mesmo com o nordeste do Brasil.Da mesma forma que cada região contribui com a sua cultura no Brasil o mesmo acontece com a Itália. Abbraccione

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e comentário!

Mensagens ofensivas ou spam serão eliminados.

Se você tem alguma dúvida urgente, peço desculpas se não respondê-la logo. Verifique nos comentários, pois há muitos casos semelhantes que podem ser os mesmos que o seu!

Com a maternidade, o tempo se tornou muito precioso e tenho me ocupado quase completamente dos cuidados e da educação de minha filha.

Agradeço a sua compreensão!