domingo, 28 de novembro de 2010

Napoli: a cidade partenopeia

Vista do Golfo de Nápoles, Teodoro Duclère

A única vez que estive em Nápoles foi durante uma viagem que fiz com meu namorado e minha futura sogra em setembro de 2007. Partimos, de carro, da Sicília, onde fomos visitar alguns parentes, e seguimos viagem para casa, em Brescia, norte da Itália. No caminho, paramos em Nápoles, Pompeia, Siena, Pisa e Florença. 

Infelizmente, a nossa parada em Nápoles foi de apenas algumas horas, mas o suficiente para me encantar com o pouco que vi da cidade. E também me surpreender com alguns aspectos que nunca imaginei que pudessem exisitir em um país da Europa Ocidental.

Panorama do Porto de Nápoles com a bela vista do vulcão Vesúvio e do Mar Tirreno

O trânsito e as condições das ruas são um dos aspectos negativos de Nápoles. Estava acostumada ao tráfego de São Paulo, no Brasil, e já tinha visto mais ou menos a diferença entre o norte e o sul quando estive na Sicilia. Mas ao ver como era Nápoles, fiquei impressionada como ninguém dá passagem, os carros que param em fila dupla, ônibus e bondes a toda velocidade, além das sujeiras nas ruas e desigualdades sociais muito evidentes
Claro que não fomos embora sem antes comer uma boa pizza napolitana em um dos restaurantes à beira mar do Golfo de Nápoles. Eu não pedi a tradicional pizza margherita, mas uma que se chamava Vesúvio, em homenagem ao vulcão da cidade. A base era como uma pizza normal, com muita mozzarella di bufala (a melhor e original da região da Campania), presunto e cogumelos. Por cima vinha uma massa bem fina, um pouco estufada para dar a forma do vulcão, e com ovos fritos na ponta (pena que não tirei uma foto). Uma delícia!

A tradicional Pizza Margherita, nascida em Nápoles. Sou fã da pizza italiana e não concordo com meus amigos e colegas de São Paulo que preferem a pizza feita lá. A italiana é mais leve e simples

Para completar e ajudar na digestão de uma pizza tão elaborada, nada melhor que um copinho de Limoncello servido bem gelado. 

Limoncello, um licor doce de limão produzido na região da Campania (especialmente em Capri, Sorrento e na Costa Amalfitana)
 
Gostaria de voltar a Nápoles e conhecer melhor esta que é uma das cidades mais famosas e fascinantes da Itália, com tanta riqueza artística herdada por seu passado glorioso e com um povo hospitaleiro e alegre.


O que visitar em Nápoles?

Nápoles é famosa por sua pizza, pelas suas músicas cantadas no melodioso dialeto napolitano, pela tarantella, pela pulcinella (uma máscara teatral) mas também por seus monumentos deixados pelos povos que a conquistaram ou reflexos da modernização pela qual passou a cidade no decorrer dos séculos


Maschio Angioino (Castel Nuovo)
É um imponente e austero castelo localizado próximo ao porto. Foi construído entre 1279 a 1284 a mando de Carlos I de Anjou e lá se estabeleceu com sua corte, deixando o Castel dell'Ovo e o de Cápua. No século XV, durante o reinado aragonês de Afonso I, o castelo foi completamente reedificado, assumindo o aspecto de uma verdadeira fortaleza. Um século mais tarde, ascrescentou-se à construção o Arco do Triunfo, com tantos relevos que exaltam seus patrocinadores, a Casa Real de Aragão.

Hoje, o castelo sedia a Administração Municipal  e o Museu Histórico.

Vista aérea do Maschio Angioino


Detalhes de uma das torres do castelo

Castel dell'Ovo
Um dos castelos mais antigos de Nápoles, já foi moradia da Casa Real dos Anjous antes de se transferirem para o Maschio Angioino. O nome vem de uma antiga lenda ligada ao poeta latino Virgílio, considerado também um mago durante a Idade Média. Dizia-se que o poeta havia escondido um ovo nos porões do castelo que o manteria em pé e se fosse quebrado, além de ruir o castelo, também provocaria uma série  de catástrofes em Nápoles.

No século XIX quase foi abatido e ficou abandonado até a década de 70 do século passado. Hoje é visitável e abriga um museu.



Piazza del Plebiscito
Construída no século XVIII, é uma das praças mais famosas e bonitas da Itália. É composta pela Igreja de São Francisco de Paula, um elegante edifício do século XIX inspirado nas formas neoclássicas e pelo elegante Palazzo Reale, construído no século XVII e residência dos vice-reis espanhóis e da Casa dos Bourbons.


Galleria Umberto I
É uma elegante galeria comercial que interliga diversas ruas importantes do centro de Nápoles e dedicada ao rei italiano Umberto I, filho de Vittorio Emanuele II. Foi construída durante a Belle Époque italiana e mistura elementos barrocos com modernidade, resultando em uma obra que impressiona pelo seu requinte.



Teatro San Carlo
Foi construído a mando do  rei Carlos III de Bourbon em 1737 e reconstruído em 1816 após um incêndio que o danificou gravemente. É hoje um dos teatros mais prestigiosos do mundo, com capacidade para 3000 lugares. Apresenta obras líricas tradicionais de grande valor artístico.


Duomo 
Dedicada a Santa Maria Assunta, a catedral matriz de Nápoles é famosa por abrigar as relíquias de São Januário (San Gennaro em italiano),  padroeiro da cidade e santo pelo qual os napolitanos são fielmente devotos.

A catedral foi erguida no século XIII sobre os restos de uma pequena igreja. Durante os séculos sucessivos, passou por diversas reformas e reedificações. Seu interior é enriquecidos por verdadeiras obras-primas da arte italiana

São Januário, o padroeiro de Nápoles e bispo de Benevento, martirizado em 305

Nápoles não se resume a esses monumentos. É uma cidade que há muito a se descobrir e se encantar, seja na beleza natural do seu território que no acolhimento de sua gente.


Sites sobre Nápoles



7 comentários:

  1. Juliana querida,
    Qta coisa linda p se ver e viver em Nápoles. Um dia voltarei lá tbm.
    Beijos carinhosos e uma semana abençoada em todas as coisas p vc.
    Nena.
    www.coracaodanena.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Cara Nena,
    Obrigada por sua visita!
    Também gostaria de voltar em Nápoles para conhecer mais da cidade e comer aquela pizza maravilhosa.
    Uma semana abençoada para você também e para tosa a sua família!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Gorgeous pictures from an amazing place! Hugs

    ResponderExcluir
  4. fUI A NAPOLI E TEM SIM COISAS LINDAS, MAS CONFESSO, NUNCA MAIS EU VOLTO LA, PIOR QUE A FAVELA DO RIO E FUI ASSALTADO 3 VEZES E NINGUEM ME ACUDIA PQ NAO ENTENDIA AQUELE DIALETO HORROROSO QUE SO ELES FALAM, PASSEM MAL EM NAPOLI NAO VÃO.

    ResponderExcluir
  5. Thanks Phivos!

    Anônimo: Napoli não tem fama de ser uma cidade muito segura e, por isso, precisamos ter muito cuidado ao andar por lá, evitar certos lugares e, se possível, estar acompanhado por alguém que conhece bem a cidade.

    ResponderExcluir
  6. vou para napoles e estou com medo por causa dos dialetos e violencia...mas confesso que me encantei com as fotos e historias...bjoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo.
      Como disse no comentário anterior, é preciso ter cuidado por onde anda em Nápoles e em qualquer outra cidade grande da Itália ou Europa.
      Quanto ao dialeto, não se preocupe. Não é que eles só falam em dialeto, ainda mais que Nápoles é uma cidade turística.
      Um conselho é se informar bastante sobre a cidade e planejar os roteiros, vale para qualquer lugar do mundo.
      Boa sorte!

      Excluir

Obrigada por sua visita e comentário!

Mensagens ofensivas ou spam serão eliminados.

Se você tem alguma dúvida urgente, peço desculpas se não respondê-la logo. Verifique nos comentários, pois há muitos casos semelhantes que podem ser os mesmos que o seu!

Com a maternidade, o tempo se tornou muito precioso e tenho me ocupado quase completamente dos cuidados e da educação de minha filha.

Agradeço a sua compreensão!